Make your own free website on Tripod.com
 
 

Bancos no Brasil

 


 HOME
O SETOR
Histórico
Dem Financeiras
Legislação
Fusões e Aquisições

GLOSSÁRIO

NOTÍCIAS

LINKS

CURSOS e EVENTOS

DICIONÁRIO

BIBLIOGRAFIA

HUMOR
APRESENTAÇOES
CRÉDITOS
 

 

 ATIVO CIRCULANTE E REALIZÁVEL LONGO PRAZO Carteira de Câmbio Investimentos 
Disponibilidades Títulos e Valores Mobiliários Imobilizado
Depósitos Interfinanceiros  Relações Interfinanceiras Diferido
Aplicações Interfinanceiras de Liquidez  Relações interdependências 
Operações de Crédito ATIVO PERMANENTE  

Ativo Circulante e Realizável a Longo Prazo

  • Disponibilidades – registra o  volume de dinheiro disponível para os clientes ou para o próprio banco, ou seja, nas agências, tesouraria, departamentos, caixas eletrônicos, etc

  • Depósitos Interfinanceiros Aplicações de feitas pelo banco em outros bancos via CDI ( Certificados de Depósito Interbancário), podendo ter taxas de juros pré ou pós-fixadas 

  • Vinculados a Recompra - Carteira própria financiada, composta pelos títulos com compormissos de recompra, contabilizados pelo valor de liquidação, líquidos de rendas a apropriar

  • Vinculados o Bacen - Inclui basicamente Depósitos Compulsórios, título vinculados a empréstimos de Liquidez

  • Títulos vinculados a negociação e intermediação de valores - Reúne as operações relativas a negociações e intermediação de valores por conta própria ou de terceiros, como o próprio nome diz, como por exemplo, títulos de renda fixa ou variável em garantia, contratos de compra ou venda ( de ações, soja, ou ouro, por exemplo), entre outros

  • Aplicações Interfinanceiras de Liquidez – Compreende as aplicações feitas em outros bancos via CDI, podendo ser pré ou pós fixadas. Neste grupo estão as operações com títulos como Debêntures, LFTs ( Letras Financeiras do Tesouro), LTNs ( Letras do Tesouro Nacional), NTNs ( Notas do Tesouro Nacional), LBCs ( Letras do Banco Central), etc

  • Operações de Crédito – empréstimos que o banco faz para pessoas físicas, empresas ou setor público. Entre eles estão operações de capital de giro, CDC ( Crédito direto ao consumidor), empréstimos imobiliários, Repasses do BNDES, Finame, entre outros 

  • Operações de Crédito em atraso - inclui os créditos ou parcelas dos empréstimos vencidos há mais de 60 dias. O Banco Central estabelece esse prazo como o máximo para que o banco transfira o crédito atrasado para essa conta, porém muitos banco são mais conservadores e transferem antes dos 60 dias não apenas as parcelas vencidas, como exige o Banco Central, mas também as demais parcelas do empréstimo e , em alguns casos, outros empréstimos do cliente inadimplente ou outros diretamente realcionados a ele, como sócios de uma empresa inadimplente, por exemplo.

  • Operações de Créditos de liquidação Duvidosa  ou em Liquidação - esses crédtos são compostos basicamente por operações que tenham parcelas vencidas há mais de 180 dias e que não tenham sido pagas. Como no caso dos créditos em atraso, a maioria dos bancos é mais conservadora do que a legislação do Banco Central, contabilizando  as parcelas ainda não vencidas do empréstimo, ou outros  empréstimos do cliente inadimplente ou diretamente realcionados a este. O banco porém tenta recuperar esses créditos, contados como perdas, e quando consegue registra o valor recuperado na conta de Recuperação de Créditos

  • Provisões para créditos de Liquidação Duvidosa - Esta conta representa um fundo para perdas que deve, segundo a Resolução 1748 de 30/08/1990, deve cobrir pelo menos 100% do valor dos créditos de liquidação duvidosa e 20% a 50% das operações de créito em atraso. Assim como na classificação dos créditos em atraso e em liquidação, os bancos costumam ser mais rigorosos do que a recomendação do Banco Central, provisionando 100% os créditos em atraso e 100% dos créditos em liquidação , mesmo sendo esse valor contabilizado como uma despesa para o banco, diminuindo seu lucro.

  • Operações de Arrendamento Mercantil - Aqui estão contabilizadas as operações de leasing  feitas aos clientes do banco

  • Carteira de Câmbio Agrupa empréstimos feitos a clientes em moedas estrangeiras, entre os quais podemos citar os Resolução 63, Adiantamento de Contratos de Câmbio ( ACC ) e Adiantamentos de Contratos de Exportação ( ACE). 

  • Títulos e Valores Mobiliários – Títulos de renda fixa ou variável que o banco compra para sua carteira ou para a carteira vinculada a compromissos de recompra. Na data do balanço esses títulos são convertidos a valores de mercado, podendo ou não haver provisões para possíveis desvalorizações destes. Quando há títulos pré-fixados, surge a linha Rendas a Apropriar, conta retificadora com as rendas que competem ao exercício em questão. Os títulos dessa carteira estão subdivididos nos seguintes itens:

  • Carteira Própria, do próprio banco

  • Carteiras de Terceiros

  • Vinculados a Recompra

  • Relações Interfinanceiras  - esta contra inclui os cheques que estão sendo compensados entre os bancos ou outros papéis, como pagamentos de boletos. Além disso entram nessa conta créditos vinculados ao Banco Central ( depósitos em moedas estrangeiras, depósitos para contratação de câmbio, recolhimento de recursos em do crédito rural, créditos vinculados ao FSH,  etc

  • Relações interdependências - compreende os valores que estão transitando entre as agências e departamentos do banco ou outras empresas do grupo ( corretoras, seguradoras, empresas de previdência privada, etc) 

  • Outros créditos - Fianças, avais, rendas de comissões e corretagens estão entre os tipos de operações registradas nessa conta.

Ativo Permanente 

  •  Investimentos - Uma das divisões dessa conta é a linha Participações em sociedades controladas e coligadas ( sociedade em outras empresas no Brasil ou no exterior). As controladas são as empresas onde o banco tem o controle, ou seja, a maioria da ações com direito a voto. Aquela onde a participação é menor, onde o banco não tem o controle, são denominadas coligadas. A segunda subdivisão, Outros investimentos, agrega invesntimentos menos importantes, como investimentos por incentivos fiscais, ações que não são destinadas a venda, obras de arte,entre outros

  • Imobilizado - imóveis e equipamentos utilizados na atividade do banco, como por exemplo, prédios onde estão instaladas agências e escritórios, computadores, ATMs, equipamentos de telecomunicações, etc. Há também o imobilizado de arrendamento, que reúne os bens que foram arrendados, ou seja, envolvidos em operações de leasing. Esses bens são do banco até que o cliente que o está arrendando termine de pagar todo o leasing. Até então o cliente tem utiliza o bem, mas não é o propritário deste.

  • Diferido - são recursos que o banco aplicou  e que darão resultados no futuro. Entre eles estão investimento  na reforma de prédios para instalação de novas agências , reestruturação da parte administrativa, etc